MEI

Abrir MEI: como funciona a tributação

Post
abrir-mei

Criar CNPJ MEI significa dar um grande passo com relação ao seu negócio: isso porque a empresa deixa de ser informal e você passa a ser Microempreendedor Individual, com todos os direitos trabalhistas e previdenciários, ou seja, abrir MEI é o caminho para ter mais segurança no futuro.

Infelizmente, muitas pessoas continuam desempenhando a sua atividade profissional informalmente, sem nem mesmo considerar a possibilidade de criar MEI e só percebem o erro que cometeram quando ficam doente, por exemplo, precisando do auxílio doença.

Um arrependimento de quem não procura abrir CNPJ MEI também ocorre na hora da aposentadoria: sem nenhuma comprovação de pagamento de impostos, é impossível ter esse direito trabalhista e o indivíduo sente que precisará continuar trabalhando até a morte.

É para evitar tudo isso que aprender como abrir uma empresa MEI é tão importante. Aliás, nem existe a desculpa da burocracia porque esse processo é um dos mais simples que se tem na tributação do nosso país.

Aliás, abrir MEI é algo que não leva nem uma hora e que te deixa tranquilo para trabalhar com a garantia de que o recolhimento de impostos será baixo, mas suficiente para protege-lo.

Como abrir um MEI

Se você não sabe como fazer MEI, vai descobrir que é bem simples:

  • Acesse o site Portal do Empreendedor aqui, que é o canal oficial para registrar uma microempresa;
  • Clique em “Formalize-se”;
  • Você verá diversas instruções do governo federal, inclusive sobre o funcionamento do regime MEI. Clique em “Formalize-se” de novo;
  • Se você nunca fez um cadastro na plataforma Gov.br, crie um;
  • Crie o CNPJ para a sua microempresa

Pronto: o processo para abertura de MEI logo estará finalizado e o seu empreendimento terá um cadastro de pessoa jurídica, estando apto para o recolhimento de impostos.

Porém, a dúvida na hora de abrir MEI online é exatamente a tributação e isso será explicado facilmente agora:

Passei pelo processo de abrir MEI: quanto vou pagar de imposto?

A cobrança de impostos para o microempreendedor individual é feita por uma guia de recolhimento que combina diversos outros impostos, mas em porcentagem bem menor. Portanto, os microempreendedores individuais não costumam pagar mais de R$ 50 por mês.

No entanto, eles não podem apresentar faturamento de mais de R$ 81.000 por ano: neste caso, será preciso cancelar MEI, uma vez que a empresa já terá passado para pequeno porte. Nesse caso, também existe um regime de tributação específico, que é o Simples Nacional, mas a cobrança por mês será maior.

Alteração MEI tem alguma coisa a ver com os impostos?

O sistema de alteração MEI não possui nenhuma relação com a cobrança de impostos: quem passa dos R$ 81.000 por ano como faturamento não pode alterar nada para continuar nesse sistema de tributação, sendo obrigado a dar baixa.

Na realidade, a alteração serve unicamente para permitir a atualização de dados sobre o micro empreendimento, como o caso de uma mudança de atividade desempenhada, a mudança de endereço ou a mudança de nome.

Leia mais no blog.